);
Home Broker Abra sua Conta
contato@solidus.com.br
(51) 3327-9888

Blog

Tesouro Direto vs Poupança: por que escolher o TD?

//
Posted By
/
Comment0

Por muito tempo a poupança foi a escolha mais popular para quem planejava fazer uma reserva para o seu futuro e buscava um investimento seguro e com alta liquidez. No entanto, a poupança não garante ao investidor uma característica indispensável a qualquer bom investimento: rentabilidade.

A rentabilidade da poupança segue uma regra estabelecida pelo governo que funciona da seguinte maneira: 

·         Se a taxa Selic for maior ou igual a 8,5% ao ano: o rendimento será de 0,5% ao mês + TR (Taxa Referencial);

·         Caso a taxa Selic esteja abaixo de 8,5% a.a: a rentabilidade será de 70% da Selic + TR

Considerando que a taxa Selic atual é 6,5% ao ano, o rendimento da poupança está em 4,55% ao ano. Em termos de ganho real, isto é, ao desconsiderar a inflação de 3,75% em 2018, o retorno efetivo foi de apenas 0,8% no ano todo. 

Essa regra para a rentabilidade da poupança foi uma forma que o governo encontrou para incentivar o investimento em títulos públicos negociados através do Tesouro Direto. Os títulos públicos são ativos de renda fixa através dos quais o investidor empresta dinheiro para o governo brasileiro em troca do direito de receber no futuro uma remuneração por este empréstimo.

A rentabilidade do Tesouro Direto é muito próxima do CDI, que é o referencial da renda fixa, mas pode variar de acordo com o título escolhido. O Tesouro Direto oferece três tipos de opção de título:

·         Atrelados à inflação: são papéis que pagam uma taxa fixa mais o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) do período, por exemplo, 4,0% + IPCA. Eles são nomeados como Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais.

·         Prefixados: estes títulos possuem uma taxa anual fixa. Estes ativos são ofertados como Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais.

·         Indexado à taxa Selic: como o nome já diz, o Tesouro Selic paga 100% da taxa básica de juros menos um deságio contratado no momento da compra. Assim, ele é considerado como um dos melhores títulos para acompanhar o ritmo de retornos do mercado.

Mesmo com a baixa rentabilidade, muitas pessoas ainda optam pela poupança por medo de perder seu dinheiro em outro investimento. O que elas não sabem é que o Tesouro Direto é a melhor opção quando se fala em segurança. Os títulos públicos são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional, ou seja, é um investimento livre de risco, pois a possibilidade de não receber o pagamento é praticamente zero.

Outro motivo muito comum para a escolha da poupança é a alta liquidez que garante a possibilidade de obter o dinheiro investido no caso de uma emergência.

Na poupança, o resgate é imediato, mas o rendimento só é pago na data de aniversário do investimento. Portanto, se você aplicar na poupança no 1º dia do mês e retirar no dia 29, não terá rendimento algum.

No caso dos títulos públicos, a liquidez é D+1, ou seja, ao solicitar o resgate, o valor estará na conta do investidor no próximo dia útil. Cada título tem uma data de vencimento, mas os juros são incorporados diariamente.

O Tesouro Direto é, portanto, a melhor opção para quem busca um investimento com rentabilidade, segurança e liquidez. Com aplicações acessíveis, você pode abandonar a poupança e começar a rentabilizar seu patrimônio já!

Leave a Reply